sábado, 1 de julho de 2017

Crítica: Personal Shopper | Um Filme de Olivier Assayas (2016)


Maureen (Kristen Stewart) é uma jovem americana que mora em Paris e trabalha como Personal Shooper para Kyra (Nora von Waldstatten), uma celebridade da cidade. Maureen também é mediúnica, embora não tenha a total certeza ter essa capacidade de se comunicar com os mortos. Porém o seu irmão, um jovem que recém-falecido também tinha esse dom, entretanto ele sempre esteve seguro e convicto de sua capacidade de se ligar a um mundo que normalmente as pessoas ignoram. Sobretudo, tanto ela quanto ele também tinha uma doença crônica do coração, a causa de sua morte precoce. Resistindo a sair da França e dar continuidade à sua vida, Maureen tenta fazer contato com o irmão. Diante de algumas manifestações mediúnicas a qual ela não consegue entender plenamente, tudo indica que supostamente seu irmão está tentando enviar, ou não, uma mensagem ao mundo dos vivos. “Personal Shopper” (Personal Shopper, 2016) é um suspense dramático escrito e dirigido pelo cineasta francês Olivier Assayas (responsável pelo longa-metragem “Acima das Nuvens). Segundo filme em que Kristen Stewart e Olivier Assayas trabalham juntos, o cineasta escreveu o roteiro desse longa-metragem pensando especificamente na atriz para protagoniza-lo, como alguns aspectos da personagem que Kristen Stewart desempenhou em “Acima das Nuvens” estão levemente conectados com essa produção.

Personal Shopper” não deixa de ser, além de muitas outras coisas, uma história sobrenatural moderna. Oscilando entre o convencionalismo dramático e o suspense sobrenatural, a atmosfera sombria e elegante criada por Assayas para essa produção é um aspecto que se destaca facilmente diante de outros filmes explicitamente focados nesse aspecto. A beleza estética atribuída pela direção de fotografia de Yorick Le Saux é encantadora, ao se utilizar de luzes rasas e sombras profundas, se destaca desde os primeiros instantes de “Personal Shopper”. O ambiente clichê de casa mal-assombrada que marca os primeiros minutos dessa produção, logo ganha contornos dramáticos quando passamos a acompanhar a rotina de viagens e tarefas de Maureen. E Assayas sabe bem separar as coisas (o dom mediúnico de Maureen de sua vida pessoal comum), como misturar elas de acordo com a necessidade. O roteiro não se restringe apenas a temperar as expectativas do espectador com o poder da sugestão, mas também a dar algumas explicações racionais para alguns eventos que se desdobram no decorrer do desenvolvimento da trama. Entretanto, um dos aspectos que mais impressionam nesse filme é a presença de Kristen Stewart; seu desempenho é formidável e ao mesmo tempo discreto onde carrega o filme sozinha. Há um agradável equilíbrio em sua atuação, que é marcado por uma presente e constante tensão física. Se em “Acima das Nuvens” ela já havia demonstrado ter se acertado com a direção de Assayas, aqui ela só veio a reafirmar isso.

Mas “Personal Shopper” não está isento de falhas. E elas estão lá, tão presentes quanto desnecessárias. Se o desenvolvimento da história é marcado por um ritmo adequado, uma atmosfera elegante, por eventos bem distribuídos e brilhantemente protagonizados por Kristen, Olivier Assayas não soube como finalizar seu trabalho com a mesma qualidade com que o ergueu diante do público. E nem me refiro à autoria previsível do crime que ocorre a certa altura da trama, mas a forma como o evento se mescla ao dom de Kristen Stewart de modo relapso e sem estudo de método. Ainda por cima, numa tentativa de aproveitar ao máximo o tempo, abre espaço para prolongar sua obra com um final secundário que deixa oportunidade para inúmeras interpretações pessoais diferentes. Uma decisão corajosa e arriscada, cujo prejuízo pode oscilar bastante de espectador para espectador.

Nota:  7/10
________________________________________________________________________

4 comentários:

  1. A sinopse e as críticas não me despertaram interesse. É um daqueles filmes que talvez assista quando passar na tv fechada.

    Abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Imagino que em breve já esteja passando na TV paga. Mas vale uma conferida Hugo. Assista!

      abraço

      Excluir
  2. Gosto de filmes com histórias possíveis.
    Esse tema (mediúnico)não é interessante para mim.
    Gosto de Kristen Stewart na maioria dos filmes dela, que vi.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Particularmente assisti a esse filme e o resenhei apenas pela atuação da Kristen Stewart, que simplesmente deixa para trás o fenômeno de bilheteria de "Crepúsculo", ao mesmo tempo em que se afirma como uma atriz de muito talento capaz de carregar com segurança um filme dramático. Adorei a sua interpretação nesse filme e no anterior que mencionei chamado "Acima das Nuvens".

      Bjus

      Excluir